live education

coisas de professor – educação e entretenimento

Participa – Sondagem sobre a ADD e a importância da observação de aulas

Posted by J L em Outubro 21, 2009

De modo o poder fundamentar algumas das minhas opiniões, gostaria de escutar a opinião dos professores acerca da importância, ou não, da observação de aulas na avaliação do desempenho docente. Visto que estou a utilizar um programa grátis tive a necessidade de dividir este trabalho em duas partes. Para aceder a sondagem basta clicar nos links que se seguem:


Avaliação do Desempenho Docente e a observação de aulas (parte 1)
Avaliação do Desempenho Docente e a observação de aulas (parte 2)

Desde já agradeço a vossa colaboração, estando a disposição de esclarecer qualquer dúvida. Obrigado.

5 Respostas to “Participa – Sondagem sobre a ADD e a importância da observação de aulas”

  1. rabina.alba20@gmail.com said

    Questão: haverá possibilidade de ter acesso ao trabalho ?

  2. Rosário said

    Completamente a favor da observação de aulas… numa lógica interna de autonomia das escolas… único ponto “bondoso” do sistema que agora está em falência

  3. Isabel Guerreiro said

    Se há profissão mais escrutinada, avaliada e controlada é a nossa, em
    que somos observados diariamente dentro e fora da sala de aula por colegas, inspectores,
    funcionários, alunos e respectivos encarregados de educação a quem nada
    escapa, quantas vezes até na nossa vida privada. Nas nossas escolas, todos
    nós conhecemos os nossos colegas e as suas (desejavelmente) diferentes
    formas de actuação profissional, sendo qualquer falha facilmente detectável.
    A intromissão sistemática de um colega numa sala de aula com fins
    avaliativos tende, naturalmente, a pôr em risco o bom ambiente – fundamental
    para o trabalho numa escola -, confrontando colegas de um modo perverso (já
    que são, à partida, potenciais concorrentes no percurso profissional) e a
    fragilizar a autoridade e liberdade do professor (não me parece ainda que
    seja formativo para o aluno a atitude “Big Brother is watching you” do
    avaliador). NEM NO TEMPO DA DITADURA se praticava a assistência de aulas a
    não ser no estágio ou, eventualmente, uma a três vezes por ano, no caso dos
    professores provisórios (actuais contratados). Gosto do princípio de que o
    professor, uma vez formado (e a sua formação é longa, exigente e
    superavaliada), até prova em contrário, deve ser considerado e tratado como
    um profissional altamente qualificado e responsável e, só em casos
    excepcionais, de manifestos comportamentos inadequados, se deve actuar
    inspectivamente. Não consigo imaginar aceitando sujeitar-se a tais práticas que alguns nos querem agora impor colegas
    tão distintos como foram Sebastião da Gama, Virgílio Ferreira, Mário
    Dionísio, Rómulo de Carvalho/António Gedeão e tantos outros hoje esquecidos,
    tal como não consigo imaginar que profissionais com uma vertente humanística
    tão acentuada como é a do professor sejam avaliados por “colegas
    avaliadores” através de métodos como a observação da prática profissional,
    elaboração de grelhas quantitativas e produtividade em termos de resultados
    quantitativos. Quantas vezes só a médio ou longo prazo se pode comprovar se
    o professor atingiu melhor ou pior os seus objectivos?
    Não vejo ainda como a assistência ao exercício da profissão possa contribuir
    para estimular a partilha de experiências e conhecimentos ou fomentar o
    espírito cooperante/crítico, muito pelo contrário! Isso não significa que os
    professores não possam abrir aos colegas a porta das suas salas de aula –
    como sempre fizeram – mas por sua livre iniciativa e sem objectivos
    controleiros.
    Uma tal avaliação quantitativa, burocrática, controleira e penalizadora contraria, sem
    dúvida, os princípios da escola pública republicana.
    É urgente, sim, analisar à lupa factores impotantes tais como os programas, as reformas das últimas décadas, as condições das escolas, os horários inadequados dos alunos, o estatuto do aluno e outros e fazer a respectiva avaliação.

  4. J L said

    ADD – Resultados do questionário sobre a observação de aulas

    Avaliação do Desempenho Docente e a observação de aulas (parte 1) – clica aqui

    Avaliação do Desempenho Docente e a observação de aulas (parte 2) – clica aqui

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: